linhahorizonte

Tipos de tumores cerebrais

TUMORES METASTÁTICOS PARA O CÉREBRO



Você sabe o que é uma metástase?

tumores metastaticos

Você certamente já ouviu falar deste termo! Metástase nada mais é do que quando um tumor maligno (chamado tumor primário) após crescer no seu lugar original resolve se espalhar. Ele rompe então a barreira do tecido sadio que ele se encontra (por exemplo o rim) e cai no sangue. O sangue leva então essas “sementes” de tumor para brotar em outros órgãos que não tem relação com o tumor inicial. Por exemplo, um tumor de rim pode dar uma metástase para o fígado ou para o cérebro.


As metástases para o cérebro são comuns?

tumores metastaticos multiplos

Infelizmente são muito mais comuns do que nós gostaríamos. Estudos mostram que 10 a 30% dos pacientes com câncer em outra parte do corpo apresentarão metástases para o cérebro em algum momento durante seu tratamento.

Os tumores que mais dão metástase para o sistema nervoso são:

• Pulmão (30 a 60%) – sabemos que cerca de ¼ dos pacientes com tumor de pulmão apresentarão metástase para o cérebro.

• Mama (10 a 30%)

• Melanoma (5 a 21%)

• Rim

Embora esses sejam os mais comuns, vale lembrar que outros tumores também podem dar metástases para o cérebro. As metástases cerebrais podem ser únicas ou múltiplas e podem se localizar praticamente em qualquer parte do cérebro.


Quais os sintomas de um paciente com metástase para o cérebro?

Sinais e sintomas de metástases cerebrais incluem alterações na capacidade cognitiva (memória, atenção, raciocínio), mudanças de comportamento, ataxia da marcha (dificuldade de caminhar), alterações visuais, afasia (dificuldade de encontrar palavras), fraqueza de braços e/ou pernas, dormências em braços e/ou pernas e convulsões. O sintoma inicial mais frequente costuma ser a dor de cabeça.


Como é feito o diagnóstico da metástase cerebral?

A maioria das vezes o tumor no cérebro é descoberto quando o paciente, já sabendo do tumor inicial, apresenta sintomas neurológicos e é encaminhado para investigação com exames de imagem, ou ainda, mesmo sem sintomas, faz um exame de controle de rotina. Através de exames de ressonância magnética podemos facilmente identificar lesões que sugerem o diagnóstico de metástase. Entretanto, o diagnóstico definitivo só é feito quando retiramos o tumor e enviamos ele para análise. O patologista vê no tumor do cérebro as céulas semelhantes a de seu tumor primário, como por exemplo de um tumor pulmonar.


O que fazer após o diagnóstico de uma metástase cerebral?

equipe neurocirurgioes

Em primeiro lugar procure seu neurocirurgião de confiança. Em conjunto com a equipe de oncologia será necessário tomar uma decisão sobre o tratamento desta doença. Se o paciente já tem o diagnóstico do tumor primário, por exemplo, já sabe que tem um tumor de pulmão, as estratégias se direcionarão para tratar diretamente a metástase. Mas, em alguns casos, a metástase cerebral pode ser a primeira apresentação de um tumor. Caso haja essa suspeita a equipe fará um esforço para localizar o tumor primário através dos exames pertinentes. Nesses casos de pacientes com tumor é fundamental o seguimento conjunto com o médico oncologista que investigará não só tumor primário, mas fará o diagnóstico do tipo de tumor, do atual estado de disseminação pelo corpo e proporá o tratamento inicial com quimioterapia, radioterapia ou cirurgia para o tumor primário, bem como dará o prognóstico geral da doença. Estes dados são fundamentais para o neurocirurgião tomar as condutas adequadas para o posterior tratamento das metástases cerebrais.


Qual o tratamento de uma metástase para o cérebro?

É preciso fazer cirurgia?

O tratamento das metástases cerebrais depende de muitos fatores, por isso é tão importante o trabalho conjunto em equipe multidisciplinar. Para propor o tratamento, é necessário saber sobre o status geral do paciente e da doença tumoral primária, além de características próprias da própria metástase, como se é única ou múltipla, tamanho, localização, se responde ou não à quimioterapia e radioterapia (fator que depende do tumor primário), etc.

tratamento tumores

Em geral propõe-se para metástases únicas maiores cirurgia seguida de radioterapia. Metástases múltiplas podem ser ressecadas cirurgicamente (a maior) e seguidas com radioterapia, apenas radioterapia localizada (radiocirurgia) ou ainda radioterapia de cérebro total. Pode-se ainda fazer cirurgias para tratar algumas complicações que as metástases podem causar, como sangramentos e bloqueio na circulação do líquido que banha o cérebro (o líquor), causando hidrocefalia.

É importante saber que mesmo em pacientes graves com doença avançada, o neurocirurgião pode ajudar a aliviar o sofrimento, seja com medicações ou com a cirurgia adequada, buscando uma qualidade de vida melhor para o paciente.


Qual o tempo de vida que um paciente com metástase cerebral tem?

Metástase cerebral tem cura?

Não há uma resposta única para essa pergunta. Ela depende muito mais do tumor primário na maior parte das vezes do que da própria metástase cerebral. Se o tumor primário já está disseminado e o paciente está em condições clínicas ruins, o prognóstico é obviamente pior. Paciente com a doença primária aparentemente controlada e boas condições clínicas tem um melhor prognóstico de sobrevida. A metástase cerebral em si já é um indício que o paciente tem menos chance de cura em geral da doença primária, muito embora ela possa ser tratada e controlada com cirurgia e radioterapia adequadamente.


Caso tenha ainda alguma dúvida sobre esse tema clique aqui e nos envie uma mensagem.


* Esse texto foi produzido e editado por Dra Raquel Zorzi - CRM 142761 - RQE 56460.